Eletrônica e Informática

RGE finaliza três projetos de pesquisa e desenvolvimento em parceria com a UFSM

A RGE, distribuidora do grupo CPFL Energia no Rio Grande do Sul, e a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) finalizaram três de cinco projetos de Pesquisa e Desenvolvimento que estavam sendo desenvolvidos em parceria desde 2016. No total, a companhia investiu R$ 6,5 milhões em inovações que podem garantir uma melhor gestão da energia na universidade e, também, no dia a dia dos clientes.

Um dos projetos concluídos foi um sistema inovador de gestão de gerenciamento da energia elétrica gerada e consumida na UFSM, criando o conceito de “Campus Inteligente”. Com investimento total de R$1 milhão, a universidade poderá ter um monitoramento em tempo real do seu consumo de energia, controlar a iluminação pública por telecomando, aproveitar melhor a usina de geração solar fotovoltaica instalada no ano de 2018 e ter uma gestão mais eficiente dos sistemas internos de climatização e iluminação. Com isso, a estimativa é que haja uma economia de R$150 mil por ano nos custos com energia.

“Olhamos sempre para frente, buscando as melhores soluções tecnológicas e inovadoras para o desenvolvimento do negócio, focados principalmente no cliente. E ter isso em parceria com o campo acadêmico e de pesquisa é um orgulho para a CPFL Energia”, afirma Rafael Moya, gerente de Inovação e Transformação da CPFL Energia.

Outro projeto finalizado foi uma plataforma de inteligência computacional para a operação de redes elétricas em tempo real, com enfoque em regiões com características rurais. Esta tecnologia, que teve investimento de R$ 2,97 milhões, permite detectar e restaurar episódios de interrupção de energia com mais rapidez, reduzir os índices de perdas de energia, melhorar a qualidade do fornecimento ao consumidor e garantir uma operação mais eficiente.

Este projeto contribuiu para a montagem de um laboratório vivo de testes das soluções desenvolvidas, no Campus da UFSM, agregando medidores inteligentes de energia, religadores, bancos capacitores e até mesmo controle de sistema de iluminação pública, sendo toda esta infraestrutura coberta por uma rede de comunicação de longo alcance e baixo consumo de energia, chamada LoRaWan. Além disso, o projeto resultou na publicação de mais de 30 artigos científicos da UFSM em eventos nacionais e internacionais, livros, teses de doutorado, dissertações de mestrado e dois registros de softwares no Inpi.

Pensado para otimizar os despachos das equipes de campo da distribuidora, o projeto “Planejamento Dinâmico de Operações” contou com investimento de R$ 1 milhão aplicado no desenvolvimento de metodologias para dimensionamento e alocação de equipes para atendimento à demanda. O uso da tecnologia permite um melhor planejamento dos serviços a serem realizados, dando mais agilidade ao trabalho, considerando criticidade, tempo de deslocamento e atividade e quantidade de clientes afetados. Ou seja, a interface ofereceu mais dinâmica e controle das equipes que estão nas ruas à serviço da população.

A CPFL Energia, um dos maiores grupos privados do setor elétrico brasileiro, investiu R$ 236,9 milhões no ano de 2020 nos Programas de P&D e de Eficiência Energética regulados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), por meio das suas distribuidoras, geradoras e transmissoras de energia elétrica

Em Pesquisa e Desenvolvimento, o investimento foi de R$ 72,9 milhões em 48 projetos que desenvolvem tecnologias e inovações. Os investimentos em P&D e eficiência energética fazem parte do plano de sustentabilidade da CPFL Energia, que prevê a aplicação, até 2024, de mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia.

Usina de Microgeração Solar Fotovoltaica

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo