Metal Mecânica

Romi cresce quase 20% no quarto trimestre de 2019

 

 

As Indústrias Romi S.A registraram no quarto trimestre de 2019  crescimento de 19,5% em relação ao mesmo período de 2018, com destaque para as Unidades de Negócio Máquinas Romi e Fundidos e Usinados, reflexo da retomada mais consistente da economia brasileira e da demanda por peças fundidas de grande porte.

 

A Unidade de Fundidos e Usinados, no quarto trimestre de 2019 apresentou crescimento de 7,5% na receita operacional líquida em relação ao mesmo período de 2018, devido ao início das entregas das peças de grande porte. A margem operacional apresentou crescimento 12,8 p.p., reflexo do maior volume de produção e faturamento e dos projetos focados na melhoria da eficiência operacional.

 

A carteira de pedidos, ao final de 2019, apresentou crescimento de 9,7% em relação a 2018, com destaque para as Unidades de Negócio Máquinas Romi e Fundidos e Usinados.

 

A posição líquida de caixa da companhia atingiu R$34 milhões em 31 de dezembro de 2019, representando uma geração de caixa, no quarto trimestre, de R$18,2 milhões, resultado do maior volume de faturamento e da redução dos estoques.

 

“O ano de 2019 demonstrou uma recuperação da economia doméstica, principalmente, a partir do segundo semestre, quando pode-se notar uma maior consistência dessa recuperação com melhoria do otimismo e da confiança, refletindo positivamente no volume de oportunidades de negócios. Essa melhora nos dados macroeconômicos e no ambiente geral da economia começa a se materializar, principalmente, na unidade de negócio Máquinas Romi, que, diante de um cenário mais estável, encoraja os clientes a retomar os seus investimentos. O segmento de Fundidos e Usinados também demonstrou importante evolução na entrada de pedidos, com a retomada da demanda por peças de grande porte para o segmento de energia. Estrategicamente, definimos como prioridade o lançamento de novas gerações de produtos em 2017 e 2018, sendo que as primeiras linhas já lançadas estão fazendo muito sucesso. Isso nos dá confiança de que estamos muito bem preparados para atender a demanda doméstica e a exportação”, afirma Luiz Cassiano R. Rosolen, diretor-presidente da Romi.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados