Metal Mecânica

Romi registra crescimento de mais de 15% no volume de entrada de pedidos no segundo trimestre

A Romi, empresa brasileira fabricante de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou entrada de pedidos de R$ 193 milhões em segundo trimestre de 2018, montante 15,4% superior ao obtido no mesmo período do ano anterior.

A receita operacional líquida da Unidade de Negócio Máquinas Romi atingiu R$77,9 milhões no segundo trimestre de 2018, apresentando um aumento de 19,5% quando comparado com o mesmo período de 2017, refletindo o crescimento na entrada de novos pedidos. Esse incremento no volume de pedidos e, consequentemente, da receita operacional líquida, demonstram que está havendo uma recuperação da indústria, mesmo que de maneira lenta e gradual, além da continuidade na consolidação da marca Romi no mercado externo.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou no segundo trimestre de 2018 volume similar ao observado no primeiro trimestre do ano e 13,6% inferior ao segundo trimestre de 2017, devido às entregas das máquinas, em 2018, estarem ainda mais concentradas ao longo do segundo semestre desse ano.

A receita operacional líquida da unidade Fundidos e Usinados foi de R$50,5 milhões no segundo trimestre de 2018, o que representa uma redução de 21,3% em relação ao mesmo período de 2017, decorrente, em sua maioria, da redução no volume de pedidos de peças fundidas e usinadas de grande porte. Por outro lado, parte dessa redução está sendo compensada pela melhoria no volume da demanda gerada em 2018 pelos setores automotivo, comercial e de máquinas para movimentação de terra.

A margem bruta de 26,4% obtida no segundo trimestre de 2018 apresentou redução de 2,5 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2017. Já a margem operacional (EBIT) quando comparada ao segundo trimestre de 2017 apresentou queda de 7,4 pontos percentuais, em virtude do volume de receitas no segundo trimestre de 2018.

“Em 2018 pode-se notar uma aceleração na quantidade de oportunidades e negócios gerados, contudo, ainda estamos vivenciando um ambiente de grandes incertezas e volatilidade, portanto, continuamos focados em deixar nossa estrutura ainda mais leve, ágil e flexível para responder rapidamente as oscilações de demanda.” menciona Luiz Cassiano Rosolen, diretor-presidente da Romi.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo