Metal Mecânica

ArcelorMittal realiza programa de investimentos de R$ 25 bilhões no Brasil

A ArcelorMittal, maior produtora de aço no Brasil, realiza o maior programa de investimentos da indústria do aço em andamento no país com aquisições, ampliações de suas plantas, energia renovável, atualização tecnológica e joint ventures, que somam R$ 25 bilhões.

 

Os investimentos em andamento mostram que o Brasil é estratégico para o Grupo ArcelorMittal, tanto por sua potencialidade de consumo quanto pelas perspectivas de produção de energia limpa e redução global de emissões de carbono. Mas estes investimentos também são parte de uma longa história, iniciada em 1921, com a inauguração de sua mais antiga usina, em Sabará, ainda em atividade e, atualmente, em processo de renovação e ampliação de capacidade.

 

O programa de investimentos em andamento é o maior da história da indústria do aço no país e aumentará a participação de mercado da empresa por meio de aumento de capacidade e produção de novos aços de alto valor agregado para consumo interno e exportação.

 

A aquisição da Unidade do Pecém, por R$ 11,2bilhões, concluída em março do ano passado, se mostrou estratégica e bem-sucedida. A gigante produtora de placas alcançou, no ano passado, seu recorde de produção de três milhões de toneladas produzidas, integrada logisticamente a um porto de grande performance para abastecer outras unidades de produção da ArcelorMittal no mundo e clientes do mercado interno.

 

Outro investimento em andamento, de R$ 4,2 bilhões, é a construção do complexo eólico Babilônia Centro, no município de Várzea Nova, na Bahia, e que terá capacidade de produção (de 553 MW) para suprir com energia limpa aproximadamente 40% do consumo das unidades da ArcelorMittal no país.

 

Além desses, estão em andamento os programas de investimento de R$ 4 bilhões na ampliação e modernização da Unidade de Monlevade (MG), para toda uma nova linha de produção de aços longos, dobrando a capacidade de produção dessa importante operação. E de R$ 1,3 bilhão na ampliação da unidade de Barra Mansa, onde também será implantada toda uma nova linha a partir de melhorias na aciaria e nova laminação.

 

Na Unidade Vega, em São Francisco do Sul, Santa Catarina, outro R$ 1,9 bilhão está sendo investido no projeto Cold Mill Complex (CMC), de construção de uma terceira linha de galvanização e uma nova linha de recozimento contínuo, que permitirão a produção de aços laminados a frio e revestidos. E, na Mina de Serra Azul, em Itatiaiuçu (MG), outros R$ 2 bilhões estão sendo investidos para a instalação de uma nova planta de beneficiamento do minério, que triplicará sua capacidade de produção.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo