Eletrônica e Informática

Custo médio de uma violação de dados no Brasil diminui 4%

O custo médio de uma violação de dados no Brasil diminuiu ligeiramente para R$ 6,20 milhões em 2023, uma redução de 4% em comparação com 2022. No entanto, a situação é diferente na América Latina. A região atingiu recorde histórico, com um aumento de 18% no custo médio de uma violação de dados em relação ao ano passado, de acordo com o relatório anual do Custo das Violações de Dados, divulgado pela IBM Security.

De acordo com o relatório 2023 da IBM, no Brasil, os custos de detecção e escalada saltaram 24% em comparação com 2022, representando a maior parte dos custos de violação, e indicando uma mudança em direção a investigações de violação mais complexas. De uma perspectiva da indústria, os setores com o maior custo de violação de dados no Brasil foram Saúde (R$ 10,58 milhões), Serviços (R$ 8,07 milhões) e Tecnologia (R$ 7,86 milhões).

“À medida que os ciberataques continuam a aumentar em frequência e complexidade, o tempo se tornou a nova moeda em cibersegurança e que pode ser muito impactada com a implantação da IA e da automação”, diz Fernando Carbone, IBM Security Services Partner. “O foco das empresas deve estar onde os adversários são mais bem-sucedidos. Os investimentos em detecção de ameaças e abordagens de resposta que aceleram a velocidade e a eficiência dos defensores são cruciais para deter os atacantes antes de atingirem seus objetivos.”

O relatório do custo das violações de dados 2023, analisado pela IBM Security e conduzido pelo Ponemon Institute, é baseado no aprofundamento de violações de dados do mundo real sofridas por organizações globalmente, entre março de 2022 e março de 2023.

Com custos de violação de dados continuando a subir em toda a América Latina, a IBM Consulting anunciou a abertura oficial de um novo Centro de Operações de Segurança (SOC) no Brasil. Este novo SOC irá alavancar as capacidades globais de gerenciamento de ameaças da IBM para fornecer serviços proativos de detecção de ameaças 24×7. O modelo SOC da IBM aproveita IA, aprendizado de máquina e automação para ajudar os clientes a identificar e conter brechas de forma mais rápida e eficiente.

O novo SOC faz parte da rede global da IBM, que atende a mais de 3.000 clientes em todo o mundo, gerenciando mais de 2 milhões de terminais e 180 bilhões de potenciais eventos de segurança por dia. A rede global da IBM agora inclui SOCs através de 16 locais, como Atlanta (U.S.), Austrália, Costa Rica, Japão, Polônia, Arábia Saudita e mais. Oferece especialistas em investigação de Managed Security Service (MSS) para auxiliar com resposta no local, especialistas em segurança dedicados com forte expertise vertical, serviços de consultoria personalizados combinados com uma abordagem holística para proteger ambientes de nuvem híbrida.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo