Metal Mecânica

Indústria de máquinas-ferramenta da Alemanha prevê crescimento de 14% na produção em 2022

“2022 tem uma boa chance de ser um ano de sucesso para a indústria de máquinas-ferramenta.” A afirmação é de Franz-Xaver Bernhard, presidente da VDW, a Associação Alemã de Construtores de Máquinas-Ferramenta. A indústria experimenta forte e ampla recuperação em termos de seus mercados e setores de clientes desde o ano passado. Um aumento de 14% na produção está previsto para 2022.

“O otimismo para 2022 é sustentado pelo forte crescimento da demanda visto desde meados do ano passado”, explica Bernhard. Isso atesta a grande demanda reprimida por investimentos em todo o mundo, uma quantidade significativa da qual está sendo atendida por máquinas-ferramentas de fabricação alemã. Os pedidos recebidos aumentaram 58% durante 2021 como um todo. Um fator primordial aqui foram os mercados estrangeiros, que registraram um aumento de 62%. As encomendas domésticas também aumentaram fortemente em mais da metade.

De acordo com dados preliminares da VDW, os mercados externos foram liderados pelos europeus. Eles aumentaram seus pedidos em 90%, seguidos pelas Américas com um aumento de 66% e pela Ásia em 61%. A China e os EUA continuam sendo os dois maiores mercados e os clientes mais importantes, com altas taxas de crescimento de dois dígitos de 65% e 92%, respectivamente. Todos os 20 principais países registraram aumentos de pelo menos dois dígitos na demanda, alguns até com crescimento de três dígitos. Os pedidos da Itália, Áustria, República Tcheca, Suíça e Índia foram particularmente fortes. A Itália e a Áustria se beneficiaram do apoio do governo.

De acordo com o parceiro da VDW que faz as previsões, Oxford Economics, o produto interno bruto global deve crescer 4,2% em 2022, a produção industrial 4,4% e o investimento 4,3%. “Estamos prontos para nos beneficiar disso, pois muitos de nossos clientes já têm carteiras de pedidos bem preenchidas”, observa Bernhard. Alguns dos números para a Alemanha foram ainda melhores. A indústria alemã está agora se recuperando, após um desenvolvimento mais fraco no ano anterior. Os dois indicadores principais, o clima de negócios do Ifo e os índices dos gerentes de compras, também estão subindo.

“A previsão para 2022, porém, ainda está embaçada pela incerteza”, reconhece Bernhard. A Oxford Economics teme que um grande número de pessoas entre em autoisolamento e não viaje como resultado da alta taxa de infecção da variante Omicron, inibindo assim a atividade econômica. A experiência mostra que a economia se recupera rapidamente quando o número de infecções diminui. No entanto, o fraco início de ano deverá travar o resultado global. A estratégia declarada de zero Covid da China também está dificultando a normalização das cadeias de suprimentos.

RECUPERAÇÃO RÁPIDA EM 2021- O setor se recuperou com fortes pedidos no ano passado, após a profunda queda na indústria de máquinas-ferramenta causada pela pandemia de 2020. De acordo com estimativas da VDW, o setor produziu cerca de 12,7 bilhões de euros em máquinas e serviços em 2021. Isso representou um aumento de 4%.

Os negócios foram impulsionados pelas exportações, que cresceram 8%, duas vezes mais rápido que a produção. As Américas lideraram os negócios no exterior com um aumento de 13%, seguidas pela Ásia com 11% e a Europa na retaguarda com 5%. Entre os dez maiores mercados, a República Tcheca, Itália, México, China e Holanda registraram crescimento de dois dígitos. A China se recuperou depois de queda acentuada em 2020.

Por outro lado, as vendas domésticas caíram 5% devido à relutância da indústria automotiva em investir. Houve apenas um ligeiro aumento no consumo de 1%. Isso foi impulsionado pelas importações, que subiram mais de um décimo. A utilização da capacidade foi de 87,2% em janeiro de 2022, em comparação com 72,7% um ano antes. Com 64.000 funcionários, o emprego em dezembro ficou 6,1% abaixo do valor do ano anterior.

DESAFIOS –  “Os gargalos nas cadeias de suprimentos de componentes eletrônicos e produtos metálicos foram os principais fatores negativos para a indústria no ano passado e ainda não foram resolvidos”, informa Bernhard.” Quase todos os fabricantes da indústria de máquinas-ferramenta foram afetados até o final de 2021, de acordo com uma pesquisa.

A escassez de chips, em particular, está atingindo duas vezes as empresas. Por um lado, a indústria automotiva, como cliente-chave, tem capacidade de fornecimento limitada. Por outro lado, não há chips suficientes para controladores (um dos componentes mais importantes em máquinas-ferramentas), gateways, computadores de borda ou drives. Isso está atrasando a conclusão dos pedidos de máquinas.

A escassez de chips resultou em um declínio nos pedidos no início da pandemia de Covid-19. Isso, por sua vez, causou a redução de capacidades de produção e o desvio de suprimentos para a indústria de bens de consumo. Leva tempo para estabelecer a capacidade de produção para novas gerações de chips. O espaço de carga também está restrito pelo fechamento de aeroportos e portos na China, como parte da estrita política de zero Covid e bloqueio do país. “Isso pode aumentar novamente a qualquer momento”, alerta Bernhard. Há algum tempo, as empresas também fazendo estoques, o que levou a uma maior demanda por alguns produtos e colocou uma pressão adicional sobre os fornecedores.

Existem oportunidades muito limitadas para a indústria de máquinas-ferramenta influenciar e compensar esse problema no curto prazo. Mudar para uma nova geração de chips leva tempo, pois isso pode facilmente envolver vários anos de desenvolvimento. “Por enquanto, a única opção é ser altamente criativo na aquisição de materiais e aceitar preços mais altos que talvez não sejam possíveis de repassar”, analisa o presidente da VDW. No médio prazo, será cada vez mais importante estabelecer cadeias de abastecimento estáveis ​​e diversificar o número de fornecedores para reduzir as dependências.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo