Eletrônica e Informática

Mais da metade das empresas do setor eletroeletrônico adota regime de trabalho híbrido ou flexível no Brasil

A Abinee atualizou a pesquisa sobre a adoção do trabalho remoto (home office) nas indústrias elétricas e eletrônicas para colaboradores que não estão ligados diretamente ao processo produtivo. Foi o oitavo levantamento realizado pela entidade sobre esse tema desde novembro de 2020. Nessa nova pesquisa, realizada entre 5 e 11 de março, houve a participação de 99 empresas.

 

Nos últimos quatro anos a maior parte das empresas adotou o trabalho remoto por algum período em função da pandemia de Covid-19 ou em alguns casos já utilizavam este regime antes da pandemia. Com a reabertura das atividades no Brasil, muitas empresas retomaram o trabalho presencial.

 

Conforme o levantamento, em março de 2024, 44% das entrevistadas estão trabalhando em regime presencial integral. Este resultado foi 6 pontos percentuais acima do observado na pesquisa anterior, realizada em agosto do ano passado, e 24 pontos percentuais acima do resultado de novembro de 2020, período em que apenas 20% das entrevistadas estavam trabalhando com este regime.

 

Houve a redução de 55% em novembro de 2020 para apenas 4% em março de 2024 no percentual de empresas que estão adotando o home office integral. Este resultado foi 3 pontos percentuais abaixo do atingido na pesquisa anterior (7%).

 

A maior parte das entrevistadas, ou seja, 52% das pesquisadas estão trabalhando de forma híbrida ou flexível. Nesta pesquisa é considerado regime de trabalho híbrido o modelo que alterna trabalho remoto com trabalho presencial no escritório em diferentes dias da semana. Já no regime flexível não existe uma definição específica.

 

Dos 52% de entrevistadas que indicaram regime híbrido ou flexível, 40% das empresas estão utilizando o modelo híbrido, sendo que:

– 5% estão trabalhando 4 dias da semana em home office e 1 dia no escritório;

– 13% estão trabalhando 3 dias da semana em home office e 2 dias no escritório;

– 16% estão trabalhando 2 dias da semana em home office e 3 dias no escritório; e

– 6% estão trabalhando 1 dia da semana em home office e 4 dias no escritório.

– Além disso, 12% das entrevistadas estão utilizando o regime flexível. Nestes casos, o modelo de trabalho pode variar de acordo com as necessidades da empresa e do colaborador em dado momento,

por exemplo: o funcionário pode escolher trabalhar em home office a maior parte do tempo e se deslocar para a empresa apenas quando tiver necessidade; ou também quando uma mesma empresa utiliza regimes diferentes para cada setor; ou para cada cargo; em alguns casos metade do mês em home office e a outra metade presencial; em outros casos somente em necessidades pontuais; ou até mesmo negociando caso a caso.

 

96% das empresas que estão utilizando o regime de trabalho híbrido ou flexível neste momento pretendem permanecer com esse regime nos próximos anos.

 

HOME OFFICE INTEGRAL – Os principais motivos que levaram as empresas a optar pelo trabalho remoto (home office), com destaque para a adequação ao modelo praticado no mercado, indicada por

68% das empresas que optaram por esse regime; seguida pela atração e retenção de talentos (64%) e pela melhoria da qualidade de vida dos colaboradores (55%).

 

As empresas também relataram outros motivos tais como redução de custos básicos como: energia, limpeza, manutenção do escritório e etc (27%); aumento da produtividade (18%); redução de custos com vale transporte, estacionamento, etc. (18%); redução de custos de aluguel do escritório, condomínio etc. (5%).

 

Além disso, 5% das entrevistadas relataram outros motivos, tais como: redução do absenteísmo; possibilidade de realização de funções em qualquer lugar; localização da empresa que dificulta o modelo híbrido.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo