Metal Mecânica

Pedidos de máquinas-ferramenta da Itália crescem, mas escassez de matérias-primas preocupa

No quarto trimestre de 2021, o índice de pedidos de máquinas-ferramenta da Itália, processados ​​pelo Departamento de Estudos Econômicos e Cultura Empresarial da Ucimu-Sistemi Per Produrre, que representa o setor no país, apresentou um aumento de 49,4% em relação ao período outubro-dezembro de 2020. O valor absoluto do índice foi de 129,1 (base 100 em 2015). É um valor recorde que nunca foi registrado na história antes.

O resultado deve-se à evolução positiva das encomendas obtidas no mercado externo, bem como pelo bom desempenho no mercado interno da Itália. As encomendas do mercado externo aumentaram 29% em comparação ao mesmo período do ano anterior. O valor absoluto do índice ficou em 101,5.

No âmbito doméstico, os pedidos recebidos registraram crescimento de 96,9%, enquanto o valor absoluto do índice foi de 243,9.

Em base anual, o índice de encomendas registrou aumento de 70,1%, para um valor absoluto de 130,4. Embora tenha havido uma notável recuperação das vendas externas, que se concretizou num aumento de 43,6% das encomendas, para um valor absoluto de 112,7, as encomendas no mercado interno cresceram 166,6% em relação a 2020, para um valor absoluto de 182,7.

“O ano de 2021 foi extremamente satisfatório para os fabricantes italianos de máquinas-ferramenta, como comprovado pela tendência do índice de pedidos ao longo de 12 meses. A recuperação deveu-se, por um lado, à recuperação parcial das vendas para o exterior e, por outro, ao dinamismo da procura italiana, apoiada também pelos incentivos governamentais da Transição 4.0”, afirma Barbara Colombo, presidente da Ucimu.

“Este crescimento inesperado de encomendas, todas concentradas num tempo reduzido – salientou a executiva – aliado à escassa disponibilidade de matérias-primas e componentes elétricos e eletrônicos devido à interrupção das cadeias de abastecimento, especialmente as ligadas ao Extremo Oriente – está atualmente colocando as nossas empresas à prova. Nossas empresas são obrigadas a adiar as entregas de máquinas encomendadas pelos clientes, aguardando o recebimento de materiais.”

“Se as condições não se alterarem substancialmente, os fabricantes de máquinas-ferramenta podem ter dificuldades em garantir que as máquinas encomendadas em 2021 sejam entregues até 30 de junho de 2022, prazo em que os clientes podem usufruir dos benefícios fiscais, conforme a medida do Governo 2021”, frisa a executiva, que defende que os benefícios sejam estendidos até o final do ano.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo