Metal Mecânica

Produção brasileira de aço bruto cai 7% no primeiro trimestre

A produção brasileira de aço bruto foi de 8 milhões de toneladas no acumulado do primeiro trimestre de 2020, o que representa uma queda de 7% quando comparada com mesmo período de 2019. Em relação aos laminados, a produção de 5,7 milhões de toneladas equivale a uma retração de 2,6% comparativamente aos mesmos meses de 2019. Já a produção de semiacabados para vendas totalizou 2,1 milhões de toneladas, 9,5% inferior ao registrado no mesmo período de 2019. Os dados são do Instituto Aço Brasil.

 

As vendas internas atingiram 4,5 milhões de toneladas de janeiro a março de 2020, apresentando uma queda de 0,7% em relação aos mesmos meses de 2019.

 

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos somou 5,1 milhões de toneladas nos três primeiros meses de 2020. Comparando com o mesmo período do ano anterior, houve queda de 0,6%.

 

As importações caíram 15,4% no acumulado de 2020, comparativamente ao mesmo período do ano anterior, totalizando 519 mil toneladas. Esse volume resultou em US﹩ 563 milhões de importação, uma redução de 10,8% na mesma base de comparação.

 

As exportações atingiram 3,2 milhões de toneladas e US﹩ 1,6 bilhão nos primeiro trimestre de 2020, o que representa queda, respectivamente, de 1,3% em volume e de 16,2% em valor na comparação com o mesmo período de 2019.

 

MARÇO DE 2020 – Em março de 2020, a produção brasileira de aço bruto foi de 2,6 milhões de toneladas, representando uma queda de 8,2% frente ao mesmo mês de 2019. Já a produção de laminados foi de 1,8 milhão de toneladas, 10,7% menor que o apurado em março de 2019. A produção de semiacabados para vendas foi de 749 mil toneladas, uma retração de 10,0% em relação ao mesmo mês de 2019.

 

O consumo aparente ficou em 1,6 milhão de toneladas em março de 2020, 11,1% menor que o registrado no mesmo período de 2019. As vendas internas caíram 10,7% contra março de 2019, dado o volume de 1,5 milhão de toneladas.

As importações de março de 2020 caíram 39,1% em volume e diminuíram 19,4% em valor em relação ao mesmo período de 2019, registrando 142 mil toneladas e US﹩ 173 milhões, respectivamente.

 

As exportações foram de 1,4 milhão de toneladas e US﹩724 milhões, representando, respectivamente, uma alta de 71,4% e uma alta de 56,1% na comparação com o mesmo mês de 2019.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo