Eletrônica e Informática

Marketing digital pode melhorar a divulgação de pequena empresa na internet

Estudos dão conta que quando o consumidor médio precisa encontrar algum produto ou serviço, quase sempre vai ao Google, embora muita gente também pesquise no Instagram e Facebook. E que aproximadamente metade das pesquisas feitas no Google com o termo “perto de mim” resulta em uma visita à loja.

Para os especialistas em marketing, esta tendência do consumidor pode ser positiva para a pequena empresa – se o possível comprador for até ela – ou negativa, se for para alguma concorrente. Por isso, se a empresa não está utilizando bem suas ferramentas digitais, a chance de ela receber esse público pronto para consumir pode diminuir bastante, ou até mesmo desaparecer.

Claro que se a marca não estiver em alguma mídia da internet, ela simplesmente não existe. Mas já não basta para a empresa, por exemplo, simplesmente manter um site, comprar banners em portais locais ou produzir bons conteúdos nas redes sociais para que os clientes venham até a porta da loja. Agora é preciso mais do que isso – na verdade, muito mais.

É aqui que entra o Marketing Digital, que reúne um conjunto de estratégias para melhorar a divulgação de uma empresa na internet. O objetivo do marketing digital é não apenas fazer com que a empresa alcance mais pessoas, mas também ajudá-la a se diferenciar da concorrência e aumentar a lembrança de marca.

Não é uma tarefa simples, já que, para uma pequena empresa, não existe bala de prata. É preciso uma abordagem omnichannel, consistência e frequência. Especialmente porque hoje as médias e grandes empresas destinam parte importante de seus orçamentos para marketing e vendas no on-line, o que leva os canais a ficarem “saturados”.

E como na internet tudo muda muito rápido, se a pequena empresa não tiverversatilidade e não estiver sempre se atualizado, vai começar a ter graves problemas nos seus resultados de vendas. Mesmo com esses desafios, o marketing digital é a ferramenta que oferece a melhor relação custo-benefício na propaganda. Nenhuma outra ferramenta dá tanto alcance com um investimento tão baixo.

REPUTAÇÃO – O primeiro passo é construir uma boa marca. Essa busca deve ser constante, pois dela dependerá a sua reputação on-line, e o que vai diferenciar a marca do chamado “mais do mesmo”. A construção da marca começa com o fornecimento de um bom produto ou serviço. Pois não importa o que a empresa faça com o seu marketing, se ela não puder fornecer um bom produto, não terá como construir uma boa marca.

Nesse sentido, a busca de feedbacks da clientela é fundamental. Ao recebê-los, a pequena empresa poderá adaptar continuamente seu produto ou serviço para melhorá-lo, o que ajudará na jornada de construção. Além disso, clientes satisfeitos trazem novos clientes e as redes sociais dão um megafone para essas pessoas.

 No entanto, assim como não é raro ver consumidores referenciando marcas e produtos quando essas superam as suas expectativas na experiência de compra, há sempre o risco de isso acontecer no caminho inverso. Ninguém poupa esforços para reclamar de um mau produto, serviço ou atendimento.

É preciso também agregar valor ao produto. Pesquisas mostram que um brasileiro adulto é impactado por cerca de 5 mil marcas todos os dias. Ou seja, para ganhar um espaçoem meio a essa profusão de anúncios, conteúdos e disputas pela atenção, é quase obrigatório criar diferenciais.

Se um consumidor procura, por exemplo, por uma loja de artigos de maquiagem, deve encontrar um site que, além de apresentar os produtos e preços, também traga dicas para cuidados de pele e tendências de maquiagem. Além de aumentar a relevância nos resultados de pesquisa, esse posicionamento também passa uma imagem mais profissional por parte da empresa.

A diversificação das mídias é igualmente fundamental. A empresa terá de usar vários canais de marketing, como email marketing, marketing de mídia social, SEO, anúncios, marketing de conteúdo e até canais como mensagens de texto e notificações push, se quiser se destacar da concorrência. Os canais mais eficientes se mostrarão com o tempo, e poderão ser ainda mais aprimorados.

 Criar uma “embalagem” em torno de datas comemorativas também é muito recomendável. As marcas grandes, inclusive, sempre souberam aproveitar bem estes contextos, como viradas de estação, aniversários da cidade, um fato importante no mercado.

Além das datas clássicos, como Carnaval, Dia das Mães, Dia dos Pais, Natal, Dia dos Namorados, datas tidas como banais também podem ser aproveitadas, como o Dia do Leitor, o Dia da Saudade, o Dia da Mulher, o Dia do Consumidor, o Dia do Orgulho Nerd, o Dia do Rock, o Dia do Homem, e assim por diante. Mas não basta somente um post comemorativo: para associar realmente a data à marca, é preciso desenvolver uma ação comercial mais consistente.

E há ainda o marketing de influência, ou seja, o uso propagandístico de personalidades ou pessoas famosas. Antes inacessível para as empresas pequenas, hoje deixou de ser. Os microinfluenciadores (entre 5 mil e 25 mil seguidores) podem trazer bons resultados para o negócio, com um custo relativamente baixo. (Alberto Mawakdiye)

 

 

 

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo