Eletrônica e Informática

Produção da indústria eletroeletrônica cresce mais de 9% no acumulado até setembro

A produção da indústria eletroeletrônica no terceiro trimestre cresceu 9,6% em volume na comparação com o mesmo trimestre de 2018. No acumulado do ano até setembro, o crescimento foi de 9,1%, de acordo com dados da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros).

 

“É um bom resultado, mas nossa base de comparação é consideravelmente baixa. Nossa produção foi bastante afetada nos últimos anos, com reduções expressivas nos volumes. Esperamos que este viés de crescimento se mantenha sustentável em 2020. Desta maneira o setor consegue se distanciar dos efeitos produzidos pela crise.”, afirma o presidente executivo da Eletros, José Jorge do Nascimento Júnior.

 

De acordo com os dados da Eletros, a linha marrom, que engloba equipamentos audiovisuais como televisores, por exemplo, registrou crescimento de 2,28% no terceiro trimestre de 2019, na comparação com o mesmo período do ano passado. Na linha branca, segmento que engloba produtos como fogões, geladeiras, máquinas de lavar, entre outros, a produção no terceiro trimestre de 2019 evoluíram 8,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Com vendas praticamente estagnadas nos últimos anos, há uma forte demanda reprimida em relação a estes produtos da linha branca”, analisa Nascimento.

 

Os produtos da linha de portáteis, que englobam equipamentos como secadores, cafeteiras, ventiladores, entre outros, registraram vendas de 21,1 milhões de unidades no terceiro trimestre de 2019, registrando crescimento de 29,4% no comparativo com o mesmo período do ano passado

 

Na visão do presidente da Eletros, o forte desempenho do segmento de portáteis se deve a alguns fatores. “São produtos de fácil acesso, pois custam mais baratos. Com o cenário de crise dos últimos anos, os consumidores têm optado mais por produtos desta categoria”, explica.

 

EXPECTATIVA 2020 – De acordo com o presidente da Eletros, questões como a alta do dólar, reforma tributária e abertura comercial são no cenário atual os pontos de maior sensibilidade para o desenvolvimento do setor. Os fatores positivos, que na visão do executivo têm contribuído para a melhora do ambiente de negócios, são a aprovação da reforma da previdência, inflação sob controle e juros baixos.

 

“Há um espaço enorme para crescermos. Esperamos um 2020 de retomada na economia, proporcionando uma considerável recuperação dos empregos e aumento da renda nas famílias, fatores essenciais para a expansão do consumo”, conclui.

 

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados