Eletrônica e Informática

Veracel avalia novas possibilidades de reciclagem de resíduos para geração de energia limpa

A Veracel, empresa de celulose localizada na região Sul da Bahia, além de ser autossuficiente energeticamente em sua produção industrial, tem como segunda fonte de receita a oferta de energia limpa para outras empresas da região. Com uma operação consolidada de reciclagem de resíduos – são utilizados materiais da própria produção de celulose, caroço de açaí e bagaço de cana- de-açúcar – a companhia agora estuda novas fontes, como fibra do coco e cascas de cupuaçu, tanto para manter sua produção energética quanto para ampliar a reciclagem de passivos ambientais.

Em 2020, a Veracel produziu aproximadamente 919.873 MWh/ano de energia, sendo que 603.811 MWh/ano foram para consumo próprio e 89.352 MWh/ano foram exportados para a rede, um total que equivale ao consumo de 178.704 habitantes. Para o processo, a companhia utiliza resíduos da própria produção de celulose e outros materiais que seriam descartados como biomassa para a queima nas caldeiras da empresa.

“A cada ano que passa, a Veracel se torna mais eficiente quanto à utilização de toda sua produção de madeira para a celulose, isso nos dá a oportunidade de intensificar nossos estudos em novas possibilidades de materiais que podem ser transformados em energia, contribuindo tanto para o negócio da companhia quanto para o meio ambiente”, explica Estanislau Victor Zutautas, gerente de Recuperação de Utilidades da Veracel. “Já tivemos resultados bastante positivos no uso de caroço de açaí, cascas de cupuaçu e vimos potencial quanto ao uso das fibras das cascas do coco como biomassa para geração de energia limpa. Continuaremos estudando novas alternativas que possam contribuir para a matriz energética da empresa. Sabemos que o uso desses passivos ambientais vai além da compatibilidade de queima em nossa caldeira e depende muito de safras, do desenvolvimento de produtores locais, questões logísticas e do foco nos materiais que são mais descartados na região, por isso também estamos atentos às características econômicas do Sul da Bahia para o projeto”, complementa o gerente.

Atualmente, a companhia já gera energia limpa a partir de: cascas e toda a madeira que não é aproveitada no processo de produção de celulose; resíduos das peneiras de seleção da produção; fibras retiradas da água do tratamento de efluentes; e materiais alternativos à produção de celulose, como caroço de açaí e bagaço da cana-de-açúcar, que são comprados pela Veracel de produtores locais.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo