Eletrônica e Informática

Segmento de cibersegurança supera mercado de tecnologia mais amplo com crescimento de 12,5%

O mercado mundial de segurança cibernética cresceu 12,5% ano a ano no primeiro trimestre de 2023, para US$ 18,6 bilhões, superando o restante do setor de tecnologia, apesar da piora das condições macroeconômicas. A Palo Alto Networks cresceu 23,6% no primeiro trimestre, ampliando sua participação de mercado líder para 8,7%. A Fortinet também aumentou sua participação, em 26,2%, para 7%. A Cisco perdeu terreno, crescendo apenas 1,4% ao limpar sua carteira de pedidos de firewall, mas aquisições e lançamentos de novas plataformas impulsionarão seu desempenho. A CrowdStrike cresceu 39,9% para passar para a quarta posição, à frente da Check Point, que cresceu 4,2%. Okta (+26,4%) e Microsoft (+32,3%) também ganharam participação de mercado.

 

“Os clientes priorizaram os gastos com os projetos mais urgentes e com maior retorno. Ciclos de vendas mais longos, atrasos e redução de projetos aumentaram, enquanto os programas de atualização de hardware foram adiados para trimestres futuros”, diz Matthew Ball, analista-chefe da Canalys.

 

Os resultados estão de acordo com as previsões da Canalys. A segurança de identidade (+14,3%) continuou sendo uma alta prioridade, assim como a proteção de trabalhadores híbridos, o que impulsionou o investimento em SSE (Security Service Edge) na segurança da web e de e-mail (+16,0%).

 

O crescimento foi mais rápido entre os clientes maiores, apesar do maior escrutínio de todos os gastos. As vendas para clientes finais com mais de 500 funcionários (grandes) cresceram 13,3%. Houve crescimento de 13,5% para empresas de 100 a 499 funcionários (médio porte). A Palo Alto Networks era o fornecedor número um para grandes e médias empresas. Enquanto isso, as vendas de cibersegurança para empresas de 10 a 99 funcionários (pequenas) cresceram 7,5% e para empresas de 1 a 9 funcionários (micro) 4,3%.

Fornecedores de segurança de endpoint, incluindo Trend Micro, Trellix e outros fornecedores regionais, continuaram a direcionar a maior parte dos gastos com pequenas e microempresas.

 

Os 12 principais fornecedores de segurança cibernética representaram 48,6% do gasto total do cliente durante o trimestre. O restante do mercado permaneceu altamente fragmentado. Os principais fornecedores continuaram a aumentar sua participação no gasto total, especialmente aqueles com estratégias de plataforma, pois os clientes consolidaram produtos multiponto para cortar custos. Os aumentos de preços também contribuíram para o crescimento nos principais segmentos de mercado, incluindo segurança de rede (+9%).

 

“Os resultados dos maiores fornecedores de segurança cibernética mostraram que o aprimoramento da resiliência cibernética continua sendo uma prioridade para a maioria das organizações, apesar dos desafios macroeconômicos contínuos e do maior escrutínio do orçamento de TI”, diz Ball. “Mas eles também mostraram que a segurança cibernética não será totalmente imune a cortes orçamentários em 2023. A concorrência entre os fornecedores se intensificará, embora a maioria cresça com a venda de assinaturas adicionais para contas existentes. Os gastos continuarão a ser fortemente examinados ao longo deste ano.”

 

A América do Norte foi o maior mercado de segurança cibernética durante o trimestre, crescendo 12,3% para US$ 9,7 bilhões. Mas a região teve a desaceleração mais acentuada em relação ao trimestre anterior, com colapsos e incertezas no setor bancário dos Estados Unidos como fatores-chave. A região Emea (Europa, Oriente Médio e África) cresceu 13,4% para US$ 5,8 bilhões, Ásia-Pacífico aumentou 10,7% para US$ 2,5 bilhões e a América Latina cresceu 15,2% para US$ 660 milhões.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo